segunda-feira, 30 de abril de 2012

Silêncios (Rosângela do Valle Dias)

Somam-se os silêncios numa manhã chuvosa de domingo.
Ausência de toques e de presenças.
Janelas cerradas num entardecer de amores.
Fechar os olhos,
emocionar-se com a música
e sonhar com um novo amanhecer.
A vida é um emaranhado de sentimentos e
um caminhar diferente para cada um.
A vida sou eu em você,
num mesmo ciclo,
experiências similares,
vivências desiguais...
Janelas que se abrem,
para a chuva molhar a alma,
num resumo de solidão.

Um comentário :

  1. Obrigada, Margô, por postar meus versos. Abraços da Rosângela

    ResponderExcluir